Sake no Japão

Você provavelmente já ouviu falar do sake, a famosa bebida alcoólica japonesa. Sabia que existem diversos tipos, que eles variam em qualidade e, assim como os vinhos, devem ser harmonizados à mesa de acordo com os pratos servidos?

No Japão, o sake feito da fermentação do arroz é chamado de nihonshu, uma vez que a palavra sake pode ser utilizada para se referir ao álcool de forma genérica. Os ingredientes principais para produzir a bebida são: arroz de boa qualidade e água. Dependendo do tipo de sake, outros elementos são adicionados.

A bebida é geralmente consumida em grandes cerimônias, como ano novo ou casamentos, embora também seja encontrada em restaurantes, bares e outros estabelecimentos que servem álcool. A temperatura pode variar, sendo os premium servidos frios e os de qualidade mais baixa, quentes.

Os grãos de arroz passam por polimento, durante o processo de fabricação de sake. Quanto mais polidos, melhor o sabor e maior o preço. Quando 30% dos grãos são polidos, a bebida é considerada premium. O sake tipo Ginjo tem 40% de grãos polidos, já o Daiginjo, 50%. Esses dois últimos, costumam ser servidos puros e tem o sabor bastante forte, não harmonizando com pratos delicados.

A produção de álcool durante o processo leva tempo. Para reduzir custos, algumas bebidas têm o álcool adicionados a parte, não sendo totalmente resultado da fermentação. Obviamente, essas têm qualidade inferior. O sake tipo Junmai tem 100% do álcool vindo da fermentação do arroz e o tipo Honjozo tem o álcool adicionado depois.

Há ainda outras variações como o Namazake, que não passa pelo processo de pasteurização. O Nigorizake passa por uma filtragem mais simples, ficando com coloração turva, pedaços sólidos de arroz em sua composição e sabor que varia entre o doce e azedo. O koshu é o sake que passou por um longo período de envelhecimento, tem sabor mais forte e cor mais escura. Jizake é o nome dado às bebidas feitas artesanalmente por pequenos produtores. E quando o sake é engarrafado antes do término da fermentação, o resultado é uma bebida com bolhas (similar a um espumante).

Kobe, Niigata e Kyoto são as regiões mais famosas e com maior tradição na produção da bebida. São cerca de 40 fábricas no Fushimi Sake District, em Kyoto. A estação JR mais próxima é a Momoyama Station (JR Nara Line). Já o Nada Sake District fica em Kobe e reúne fábricas e museus sobre sake e pode ser acessado pela Sumiyoshi Station (JR Kobe/Kyoto Line). Algumas fábricas abrem as portas para tours e é preciso agendar com antecedência.

A etiqueta japonesa diz que você não deve encher seu próprio copo e sim ser servido pelos outros. Também é de bom grado preencher os copos da mesa antes que fiquem vazios. Você deve segurar seu copo quando estiver sendo preenchido e tomar um gole antes de colocá-lo de volta à mesa. Se não quiser mais beber, deixe o copo pela metade, caso contrário ele voltará a ficar cheio.

(Imagem: Sake Brewery Tour | Crédito: Shinsuke JJ Ikegame via Visual hunt)