Terremotos no Japão – o que fazer

O território japonês está localizado em uma área sísmica e é por isso que o país tem tantos onsens e vulcões, alguns ainda ativos. Esse também é o motivo de ser uma região bastante afetada por terremotos e tsunamis.

São eventos que acontecem em intensidades diferentes. O terremoto de grandes proporções mais recente foi em 2011, o que atingiu a costa nordeste do Japão, com o tsunami que devastou a região de Fukushima e causou o acidente nuclear. Essas atividades provocadas pela natureza são muito frequentes no país, acontecem quase diariamente, a maior parte delas em escala muito menor. Muitas vezes, pequenos tremores ocorrem e as pessoas nem os percebem.

Com este cenário, o Japão está constantemente monitorando os terremotos e possui diversas medidas de prevenção. Os japoneses aprendem desde pequenos como se portar durante um terremoto, com treinamentos frequentes que acontecem nos escritórios, nas escolas etc. A tv e rádios do país têm a função de avisar com minutos de antecedência caso um grande terremoto seja detectado, assim as pessoas têm tempo de sair de casa e seguir para um local seguro.

As casas devem sempre estar preparadas para tremores menores. As construções mais modernas já são feitas para resistir aos terremotos, com amortecedores na fundação e outras tecnologias. Objetos pesados nunca ficam em locais altos ou que possam cair facilmente e toda casa deve ter um kit de sobrevivência com água, comida e lanterna para casos mais extremos. Durante os tremores a recomendação é se abrigar debaixo de uma mesa para se proteger caso algo venha a cair. Logo em seguida, desligar fogão, aquecedores e gás, tirar objetos da tomada e deixar a porta de entrada aberta para garantir uma saída.

Se estiver no trem ou dentro de estabelecimentos comerciais, siga as instruções dos funcionários. Eles são treinados para orientar as pessoas nestas situações. Se estiver na rua, procure um local seguro e fique longe de postes, muros e prédios. O ideal é uma área aberta como parques ou grandes praças. Em regiões litorâneas, siga para um local alto e o mais afastado possível do mar, para se proteger em caso de tsunami. É preciso prestar atenção após o tremor, pois abalos secundários são bastante comuns.

O principal é manter a calma durante o evento e seguir as orientações. O Japão é um país muito preparado para essas situações e isso não deve ser motivo para evitar conhecer o país.

(Photo credit: TANAKA Juuyoh (田中十洋) via VisualHunt.com / CC BY)